Ir a Roma e não ver o papa, como assim?

Escrito por Márcia Regina Falcioni Pinesso

Gente, ir a Roma e não ver o papa é uma expressão popular que usamos cotidianamente quando queremos nos referir a alguma coisa que é notória, não tem como deixar de fazer. O papa é uma celebridade mundial e sua aparição cumpre uma agenda anual, portanto para quem se organizar, o evento pode ser acessível.

Então, ir a Roma e não ver o papa, não é uma questão religiosa, é uma questão histórica, cultural, turística. Os papas são líderes religiosos que existem desde o século I. Pedro, um dos doze apóstolos de Jesus, foi o primeiro papa, segundo a igreja católica. É certo que as histórias envolvendo o papado, ao longo da existência da igreja, nem sempre são histórias que justificam a existência da fé cristã, mas o contexto histórico da humanidade tem lá suas explicações.

Ir a Roma e não ver o papa Francisco traz uma certa insatisfação. O papa Francisco é o 266º na ordem papal. Nascido na Argentina, portanto literalmente hermano do povo brasileiro, é uma figura que agrada os jovens da igreja, ao mesmo tempo que causa preocupação a ala mais conservadora, principalmente por seus posicionamentos em relação a diferentes temáticas. Entre os temas estão o divórcio e um novo casamento; o aborto, a preocupação com o meio ambiente, o entendimento da igreja sobre a imigração, drogas, celibato, homossexualismo, pena de morte e abuso sexual.

Ir a Roma e não ver o papa nos faz querer conhecer um pouco mais desta figura pública. O papa Francisco fala fluentemente, além do castelhano sua língua materna, o espanhol, italiano, alemão, francês, inglês e conhece o idioma português.

Estive em Roma e não vi o papa. E olha que estava por lá, num domingo, quando o papa aparece para dar a benção aos fiéis que vêm de diferentes partes do mundo. A aparição dele é na janela da Basílica São Pedro e dura aproximadamente 20 minutos. Estava na praça Santo Angelo, perto do meio dia. Me recordo de uma multidão de pessoas saindo do Vaticano, acredito eu, após receber a benção. Talvez tenha me perdido em meio a paisagem, as pessoas, e as construções, e não percebi o que acontecia ao redor.

Da outra vez que for a Roma, quero ver o papa! Agora vou me organizar para isto. Já sei que os ingressos podem ser solicitados via internet. São gratuitos, mas devem ser solicitados com dois ou três meses de antecedência. Se você quiser arriscar e ir sem os convites, pode ir, porém os melhores lugares são destinados para quem tem o ingresso. A solicitação pode ser feita no site do Vaticano.

Se você quiser participar das audiências com o papa com um guia, tem vários pacotes na internet cujo preço varia entre 25 a 40 euros e no pacote está incluído receber o bilhete onde você estiver acomodado, com cadeira para sentar em local privilegiado, e, também um café da manhã.

Existem outros pacotes turísticos para conhecer o Vaticano, nesses estão incluso o passeio a Capela Sistina onde você poderá conhecer apartamentos papais, a Basílica de São Pedro que é a maior igreja do mundo, as obras de arte de Michelangelo, Rafael, Da Vinci. Nos palácios papais as pinturas de Giotto, Raffaelo, Leonardo Da Vinci e Caravaggio. Você encontra pacotes por 140 euros.

Se você quiser um pacote que inclua desde a chegada a Itália até seu retorno ao país de origem, pode recorrer a Manu & Mak no site Your Concierges, eles podem te ajudar no idioma, locomoção, acomodação e passeios, dependendo do que você quer fazer na Europa e do tempo que terá para fazer isto.

Quando você for a Roma não deixe de ir ver o papa, e não esqueça de por na mala roupas discretas, porque no Vaticano você não pode usar shorts, saias curtas ou camisetas sem mangas. Os joelhos e os ombros devem estar bem protegidos, entendeu? Abraço.