Nossa experiência em Cinque Terre

Escrito por Emanuele Soto

Monterosso, Vernazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore, são as “Cinco Terras”, localizado na região de Ligúria, Itália, se encontra um parque nacional que é destino dos sonhos!

Fomos ver de perto essa preciosidade banhada pelo mar mediterrâneo, e realmente é de arrancar suspiros. Em meio de penhascos se encontram vilarejos, com casinhas coloridas de frente para o mar. Cada um dos vilarejos tem seu charme e devem ser visitados para descobrir qual deles será seu preferido e já adianto que essa não será uma tarefa fácil.

Nós fomos de carro até Riomaggiore, deixamos em um estacionamento privado (é bem difícil estacionar e somente residentes locais podem entrar com veículos). E lá fomos nós explorar o local, muito ansiosos para confirmar se tudo aquilo que vimos em fotos no Instagram era verdade.

A princípio não sabíamos por onde ir, mas as vilas não são tão grandes, então vale a pena se perder um pouco e descobrir muito.

Andando entre as casas, descendo escadas e mais escadas… aliás vá com um sapato confortável, pois o que mais se faz é subir e descer escadas. Ao final de um corredor estreito começamos a ouvir o mar agitado e sabíamos que estávamos perto, mais alguns degraus e de repente um verde imenso, e nós tão pequenos entre algumas rochas observando aquela imensidão, sim, é de se emocionar. Contornamos para obter a vista do outro lado e fazer algumas fotos claro!

Continuamos andando pela pequena cidade e seguindo as placas que indicavam o caminho para a próxima vila, os famosos “sentieri”, são trilhas em meio a natureza entre cada vila, porém esta estava fechada. Nos informaram que estavam realizando manutenções e por isso apenas uma das trilhas estava aberta. Nossa opção foi ir de trem.

O trem é muito rápido e circula o dia todo pela Cinque Terre. Você tem a opção de pagar um valor único (16€) e andar quantas vezes quiser ao longo do dia, ou pagar por cada trecho que fizer (4€). Escolhemos pagar por trecho, já que nossa intenção era fazer uma das trilhas, ou melhor, a única que estava aberta.

Próxima parada: Manarola, essa vila tem trechos de trilha que contorna o penhasco, proporcionando uma vista incrível, tanto de Manarola, quanto da vila vizinha: Corniglia. Na minha opinião uma das vilas mais fáceis de ser fotografada para quem está a pé, existem vários passeios de barcos, porém dessa vez não fizemos, mas dizem que é uma experiência incrível e claro se tem uma vista totalmente diferente. Lembrando que antes de programar sua viagem, não deixe de verificar até quando esses passeios de barcos e as trilhas estarão disponíveis. Normalmente fora de temporada as trilhas entram em manutenção e os passeios de barcos diminuem ou simplesmente não existem. Trem e ônibus funcionam normalmente durante o ano.

De trem seguimos para a estação de Corniglia, porém, essa é a única que para chegar temos que pegar um ônibus ou caminhar até lá, foram 382 degraus e juro que não estou exagerando, a vila fica no alto e de barco não é possível visitá-la. A vila é muito charmosa e a vista lá de cima é sensacional. Aliás em cada vila se tem uma vista diferente. E foi desta que fomos até Vernazza pela trilha.

Como não sabíamos onde começava a trilha, começamos a pedir informações para os locais e lá fomos nós! Essa trilha é muito bonita, passa por oliveiras e vinhas durante o trajeto de 3,5 km, cheio de subidas e descidas, aconselho ir de tênis e levar uma garrafa de água, não é impossível de ser feita, até porque eu consegui, e olha que não chego nem perto de ser uma atleta. Brincadeiras a parte, pra quem gosta de natureza e caminhar é um excelente passeio, quem é mais acostumado a fazer trilhas e longos percursos pode até se arriscar e fazer mais de um trecho no dia, eu no caso fiz esse e achei de bom tamanho.

Ao final da trilha já podíamos ver Vernazza do alto e o Castello Doria, uma fortificação antiga que sobreviveu ao tempo, li que é possível subir na torre, mas naquele dia não estava aberta para visitações. Como fomos fora da alta temporada, alguns lugares estavam fechados e tinha poucos turistas, mas acho bem difícil encontrar Cinque Terre vazia, até porque é um dos pontos turísticos mais procurados na Itália. Se você for no verão, se prepare para o calor intenso e muita gente, nos meses de julho e agosto.

Mais um trem e chegamos na última mas não menos importante vila: Monterosso, tem mais cara de praia que estamos acostumados, com areia (aliás são as únicas praias de areia) e cheia de guarda-sol. Mas as águas são cristalinas e isso não consigo me acostumar, vimos o pôr do sol dali, sentindo aquela brisa fresquinha do fim de tarde. É a aldeia mais populosa e mais antiga das cinco, outra coisa que é bem diferente das demais é que ela plana e assim super fácil de se locomover.

Essa foi nossa experiência visitando um lugar paradisíaco e podemos constatar que é mais lindo do que nas fotos, super recomendamos essa viagem, e cabe a você decidir em que época do ano ir, fazer trilhas ou não, passar alguns dias ou visitar em um dia inteiro (é super possível). Cada um tem seu estilo de viagem, seus interesses e orçamento diferente, mas nada disso impede de conhecer um lugar novo, com planejamento tudo é possível, caso você tenha dificuldade de planejar uma viagem, tem medo do desconhecido, não fala a língua local, não tem companhia pois suas férias são sempre em datas diferentes dos seus amigos ou simplesmente quer viajar sem esquentar a cabeça, entre em contato com a gente e vamos bater um papo! Quem sabe essa viagem sai do papel dessa vez?

Fale com a gente!

Como chegar em Cinque Terre:

  • Carro: Dá para estacionar na entrada das aldeias, (porém são poucos e não muito econômicos), perto das estações ou em La Spezia e pegar um trem.
  • Trem: A maneira mais fácil e o trem pára em todas as aldeias.
  • Barco: A partir de La Spezia saem passeios de barcos para Cinque Terre, vários tipos e valores.
  • Avião: Aeroporto de Gênova, Pisa, Milão e Florença, (depois optar por trem ou carro).